I - METODOLOGIA

Os métodos didáticos são os elementos que o professor utiliza para uma boa aula. Cada professor deve assumir uma forma própria de elaborar suas lições e de dar as suas aulas.

Fatores que levam o professor a desenvolver um bom método didático:

1 - LEVAR EM CONTA A IDADE DA CLASSE.

O professor não pode assumir um método de ensino que esteja fora da faixa etária da sua classe. Cada fase da vida está relacionada a certas características e são a essas características que o professor deve estar atento para poder alcançar o êxito esperado. É preciso saber direcionar as aulas dentro desse propósito, para isso, o professor necessita conhecer as características que permeiam a idade da classe que ensina.

2 - SER UM BOM PESQUISADOR.

É impossível desenvolver uma boa didática se o professor não tem o habito de pesquisar. Não é que a lição não tenha um aparato suficiente para dar uma boa aula, é que ela é muito resumida e requer alguns recursos adicionais.

3 - TER CRÍTICA AUTO-SUGESTIVA.

Reconhecer que precisa melhorar, que precisa mudar alguns detalhes em sua maneira de dar aula, é um dos maiores obstáculos que impede que o professor alcance um método disciplinar avançado. O professor precisa ter a capacidade de saber criticar a si mesmo, de reconhecer que precisa de ajuda. Achar que não precisa pesquisar, que não precisa participar de reuniões, que é só abrir a lição e pronto tudo está feito, é um equivoco crucial para o impedimento do crescimento de qualquer professor. O professor deve, acima de tudo, olhar a cada dia no espelho e perguntar para si mesmo se é o professor que está alcançando os objetivos necessários.


II - LIÇÃO PROGRAMADA

Na hora de aplicar a lição da escola bíblica dominical, geralmente, o professor encontra alguns empecilhos que requerem de si um certo malabarismo. A lição programada, feita em casa, ajuda a eliminar esses empecilhos, isso porque o professor cria um programa com começo, meio e fim. A lição programada é o controle que o professor tem sobre sua lição, a capacidade de assimilar e associar dentro de qualquer tempo. Uma lição programada é feita com:


1 - OBJETIVOS DEFINIDOS.

A falta de objetividade é o momento em que o professor parece não saber o que está fazendo, como se estivesse perdido. O objetivo é quando o professor sai de casa para a classe de aula sabendo exatamente o que vai fazer, e certo dos alvos que vai alcançar.

2 - RASCUNHOS.

Muitas vezes a lição não é dada dentro do tempo previsto porque o professor ensina cada ponto da lição em apreço, independentemente, como se cada um fosse um assunto particular.
Antes da aula é preciso que se tenha uma visão panorâmica de toda a lição, então, se faz um rascunho ou esboço com os pontos que definem categoricamente cada tópico.

III - NOÇÃO

1 - O PROFESSOR PRECISA TER NOÇÃO:

A - Do Tempo

Noção de tempo na hora dar a aula é como um pedestre no momento de atravessar a rua, ele olha para a avenida que vai cruzar e que vê que não muito longe vem se aproximando um carro, ele faz um calculo preciso entre a distância e o tempo, ao fazer essa comparação, ele sabe se atravessa ou não. Assim também deve ser na classe de aula, o professor precisa comparar o tamanho da lição e o tempo e, então, procurar o meio certo para efetivar toda a lição.

B - De funcionamento

Noção de funcionamento é a capacidade que o professor tem de analisar a condição de sua classe, encontrar as deficiências e efetuar a cura.

C - Das prováveis questões que geram discussões.

O professor da EBD não é aquele que domina todas as ciências, mas aquele que está apto a responder pelo menos as questões mais embaraçosas. Tome conhecimento das questões mais grotescas em nosso meio e procure as respostas definitivas.
O professor deve estar apto a responder questões como: Divórcio (O que é, porque não, o que a Bíblia diz, o que os homens dizem), Homossexualismo (Porque não, o que a Bíblia diz, o que os homens dizem, como vencer, como lidar), Drogas, pais e filhos, questões políticas, questões sociais, conflitos emocionais, entre outras coisas. Se o professor procurar estar esclarecido sobre os temas corriqueiros em nosso meio, nenhuma pergunta o surpreenderá.

IV - AFINIDADE LITERÁRIA

O conhecimento do professor se baseia naquilo que ele lê. Esse conhecimento pode ser limitado, ou pode atingir proporções inesperadas se o professor ousar adquirir as mais variadas informações das melhores fontes possíveis.

A - Literatura:

- Brasileira (Ajuda a desenvolver a interpretação de texto, leitura e escrita).
- Romance policial (Ajuda a desenvolver o argumento e o raciocínio)
- Clássica (Ajuda a conhecer as épocas, entender os pensamentos religiosos e culturais).

B - Filosofia:

- Clássica (Ajuda a compreender as questões da humanidade e as respostas fornecidas pelos filósofos gregos e de épocas).
- Atual (Ajuda o professor a descobrir qual o pensamento moderno e suas soluções mais atuais para os problemas humanos).

C - Periódicos:

- Revistas de informações gerais (Trazem os acontecimentos e fatos que o professor precisa conhecer. Revistas de informações específicas: Ciência, religião, curiosidades (Ajudam o professor a conhecer questões interessantes que podem ajudar em suas lições).
- Jornais (Ajuda o professor a estar por dentro da situação política, econômica e social da sociedade).

D - Teologia:

- Livros de teologia clássica (Martinho Lutero, Calvino, Santo Agostinho, entres outros)
- Teologias sistemáticas (É importante que o professor tenha em casa livros de teologia sistemática de escritores diferentes)
- Livros devocionais (Ajudam no desenvolvimento da oração, devoção e louvor).

E - Material de pesquisa: - Enciclopédias (Teologia, cultural e informações gerais) - Dicionários (Evangélico, católico, latim, grego, hebraico e secular) - Internet e suas múltiplas opções de aprendizado. Acesse principalmente - F - Bíblias: De estudos diversas (Auxiliam o professor com suas notas e estudos). ( Bíblia de Estudos Pentecostal mais completa )

V - ARGUMENTAÇÃO Argumentar é saber colocar as idéias a respeito de um determinado assunto, de maneira que se obtenha êxito naquilo que se está enfatizando. Mas para o professor ter sucesso em seus argumentos, precisa de total conhecimento sobre o assunto que vai defender. O âmago da argumentação é a pergunta e a resposta, por isso, para desenvolver a argumentação nada melhor do que perguntar e em seguida responder ao tema da lição.

VI - PSICOLOGIA DIDÁTICA

1 - PSICOLOGIA APLICADA A SI MESMO - O TEMPERAMENTO DO PROFESSOR.


A - Manter o equilíbrio quando a opinião de alguém discorda do que está sendo ensinado. B - Estar apto a responder a qualquer questão e não criar subterfúgios, não dar qualquer resposta por pura pressão. C - Ser sincero com os seus alunos, se não consegue responder a alguma pergunta, tente pelo menos reconhecer isso e procure melhorar sua condição de professor pedindo para numa próxima oportunidade dar sua resposta, a fim de evitar eventuais situações desconcertantes.

2 - PSICOLOGIA APLICADA À CLASSE DA EBD
.

A - Saber passar lições de vida em cada lição. O professor precisa orientar bem os seus alunos a esse respeito. Na classe dos adolescentes, eles precisam extrair lições de vida, descobrir do professor orientações que os ajude a vencer certas perturbações. Dessa forma, o professor da classe dos casais precisa saber empregar lições de vida para os seus alunos: o valor da família, moralidade, e assim por diante. O professor de cada tipo de classe na escola precisa saber direcionar sua lição para aplicações de vida pessoal de cada um.

B - Saber passar lições espirituais. É necessário que o aluno não só conheça as histórias bíblicas na aula, mas que o aproveitamento seja realmente prático. O objetivo da escola bíblica dominical é exatamente este: crescimento espiritual. Um aluno nunca pode voltar para casa insatisfeito com as respostas dadas pelo professor, pelo contrário, em cada aula, o aluno deve se sentir satisfeito por confiar na palavra do professor, pois está certo de que ele tem noção do que está falando.

VII - CRIATIVIDADE

Ser criativo significa ter idéias e projetos audaciosos. Se o professor não é tão criativo ele pode recorrer a outros professores e compartilhar de suas idéias. Ser criativa envolve:

1 - ATUALIZAR A CLASSE COM INFORMAÇÕES DO MEIO EVANGÉLICO E SECULAR.

Para que isso aconteça, o professor deve estar a par dos acontecimentos nacionais e internacionais. É importante que a lição não se detenha apenas ao seu conteúdo, mas atinja, através do professor uma dimensão bem pessoal da vida do aluno. (Jornal de TV é um resumo bem interessante de notícias atuais)

2 - LEVAR O ALUNO A PARTICIPAR ATIVAMENTE DAS AULAS.

O grande problema de certos professores é que somente ele se acha responsável pela aula, mas se mudar de idéia e começar a perceber que deve interagir com o aluno nas aulas, aí o resultado será óbvio, o sucesso! A maneira de se eliminar conversas paralelas e dúvidas na classe é ganhar a confiança do aluno, ele precisa respeitar o professor, mas, também precisa ter liberdade para participar.

3 - CRIAR DINÂMICAS.

Hoje em dia está muito fácil de se criar dinâmicas na classe de aula, o professor só precisa ter humildade para buscar recursos externos como, navegar na internet, pedir idéias a outras pessoas, ou conversar com os alunos. O certo é que dinâmicas tornam as aulas mais envolventes e além de garantirem a participação do aluno, sempre o mantém satisfeito com a EBD, pois o ensino lhe é fixado na memória.

ÉTICA DISCIPLINAR

AOS PROFESSORES E DIRETORES.

I - DISCIPLINA

1 - DISCIPLINA QUANTO ÀS REUNIÕES GERAIS.

Quem trabalha em qualquer área da EBD precisa compreender que sua participação nas reuniões gerais é de suma importância, uma vez que são nestas reuniões que são discutidas as questões relacionadas ao seu departamento.

2 - DISCIPLINA QUANTO À ORGANIZAÇÃO DOS SEUS RELATÓRIOS.

São os relatórios que demonstram como está andando a EBD em cada congregação. O responsável geral, por meio dos relatórios, pode ajudar ao diretor e ao coordenador a administrarem suas respectivas áreas. Um professor que não consegue organizar e entregar seus relatórios demonstra uma deficiência em sua administração, visto que essa parte é a mais simples na função que desenvolve.

3 - DISCIPLINA QUANTO A ORGANIZAÇÃO DA ESCOLA DOMINICAL

A - Aos diretores.

O diretor da EBD não pode ficar levando o departamento de qualquer maneira. Tem muitas congregações onde a escola bíblica é totalmente desorganizada, com freqüência baixa dos alunos, classes amontoadas, horários irregulares, professores despreparados, entre tantos outros problemas. O diretor deve reconhecer quando o departamento que dirige estiver deficiente, porque só quando ele reconhece que tem deficiência é que ele poderá ir a busca da cura, ou solução.

B - Aos professores.

A classe da escola bíblica é o lugar de trabalho do professor, é o seu ambiente de relacionamento com os seus alunos, se alguma coisa de errado estiver ocorrendo, é aqui onde mora o problema: na organização. Se os alunos não estão freqüentando as aulas como deviam, ou o professor já ouve murmúrios de que as suas aulas não estão alcançando o esperado, então, é melhor se localizar e recorrer aos meios de sanar possíveis impedimentos em sua didática, ou forma de ensinar.

4 - OBSTÁCULOS QUE IMPEDEM O PROFESSOR DE SER DISCIPLINADO.

• Preguiça (de ler, de ir às reuniões, de participar efetivamente nas programações do departamento).
• Falta de senso de responsabilidade. Isso acontece quando o diretor ou o professor não consegue perceber a importância de sua função.
• Ignorância (ou seria ingnorância? - Não aceita correção, não precisa de seminários e nem de reuniões, não muda seus princípios).
• Falta de tempo. Muita gente realmente não tem muito tempo, muita gente, no entanto, usa isso como desculpa para justificar sua omissão, pois o tempo somos nós mesmos que programamos.

II - RELACIONAMENTO

1 - AOS PROFESSORES.

A - Relacionamento do professor com o seu diretor. Se o relacionamento do professor de uma classe dominical com o seu diretor está, de certa forma, afetado por alguma coisa, seja indiferença, desacordo ou falta de diálogo; conseqüentemente, todo o departamento sofre com isso. É por meio do bom relacionamento com seu diretor que o professor poderá discutir sobre a falta de material em sua classe, os problemas de má localização de sua classe, limitação didática e outras coisas mais.

B - Relacionamento do professor com o aluno. A classe de aula da EBD é formada por pessoas de vários comportamentos, como aqueles alunos com dificuldade de assimilação, ou aqueles que se acham extremamente inteligentes, ou ainda, aqueles que vão as aulas para encontrar os amigos, outros que sempre discordam de tudo, entre tantos outros comportamentos. Tudo isso mostra a responsabilidade que o professor da EBD tem e o quanto é importante que esse professor conheça a sua classe, para saber como lidar com seus alunos. Muitos professores não se importam com isso, o que realmente importa é apenas cumprir o programa. O professor que tem um bom relacionamento com a classe de aula é aquele que consegue perceber o grau de aproveitamento de suas aulas. O grande problema com alguns professores é que eles não conseguem interpretar o meio em que trabalham, em outras palavras, não sabem se a classe está satisfeita ou insatisfeita com as suas aulas, se está participando do desenvolvimento dos seus alunos ou não. O bom relacionamento de um professor com sua classe é definido quando se pode constatar que os alunos desta classe estão crescendo espiritual, moral e socialmente.

C - Relacionamento do professor com o seu pastor. O bom relacionamento do professor com seu pastor não pode ser construído sob o medo da comunicação entre ambos. O que o professor deve fazer é respeitar o seu pastor. O professor deve ser sempre sincero ao informar seu pastor sobre as ocorrências ao exercer sua função.

2 - AOS DIRETORES.

A - O Relacionamento do diretor com o seu pastor. Em muitas igrejas é comum o pastor não concordar com os métodos de trabalho do diretor e o diretor não gostar da maneira como o pastor o critica ou deixa de ajudá-lo. Esses pequenos empecilhos entre o diretor e o pastor comprometem muito o departamento, uma vez que o desacordo se reflete nas programações estabelecidas pelo diretor.

B - Relacionamento do diretor com o responsável geral. O diretor só poderá executar com êxito a sua função se o seu relacionamento com o responsável geral estiver bem. O diretor não pode deixar de participar das reuniões e nem deixar de prestar relatórios da Escola Bíblica Dominical de sua congregação. Infelizmente, muitos diretores não têm um relacionamento estreito com o responsável geral, alguns, chegam até a agir com total indiferença, como se não levassem a sério o departamento e sua estrutura funcional. A solução para isto é participação em reuniões gerais ou setoriais.

III - PREPARACÃO O que leva professores despreparados a estarem atuando nas classes de escolas bíblicas dominicais? - Será a displicência dos próprios professores, que quando assumiram a classe demonstravam capacidade e depois relaxaram não agindo mais com responsabilidade? - Será que certos diretores não conseguem distinguir entre um professor capacitado e outro indisciplinado? De qualquer forma, o que interessa saber é que um professor precisa de preparação para pode atuar na EBD. O objetivo do ensino é formar caráter, influenciar, dar instrução e se o professor não está à altura de atingir esses objetivos o resultado não é outro, senão, a insatisfação da classe e a falta de crescimento teológico e espiritual. O professor deve ter preparação:

1 - PSICOLÓGICA.

A preparação psicológica é necessária à vida do professor, porque diante das mais ousadas perguntas ou colocações ele deve manter o caráter de alguém que está apto a responder, ou pelo menos saber lidar com qualquer situação. Um professor não pode ser destemperado, e nem deixar que suas emoções extrapolem suas ações. O professor preparado psicologicamente age com moderação e segurança.

2 - ESPIRITUAL.

As aulas de um professor da EBD não podem se deter apenas a questões racionais. O professor está diante de uma classe para dar crescimento espiritual aos alunos, se ele não tem essa espiritualidade como poderá repassá-la? Como poderá falar de uma coisa que não vive?

3 - PEDAGÓGICA

O professor além de sua espiritualidade e equilíbrio psicológico, necessita de preparo pedagógico. O método, o objetivo, a forma como passa a lição, tudo isso tem relevância quando levamos em conta a responsabilidade que este professor está subordinado: O ensino!

IV - A SECRETÁRIA (O) DA EBD

A secretária (o) da EBD é a pessoa com quem o diretor pode contar, é quem organiza e dá saídas para o diretor no que tange ao andamento do departamento. A falta de comunicação entre o diretor e a secretária(o) gera problemas como a não entrega dos relatórios mensais e a falta de organização do departamento. A função de secretária parece simples, mas quando estamos falando em EBD, não há nada de insignificante nesta tarefa, pelo contrário, tudo é de grande responsabilidade. A secretária deve ser exclusiva da EBD, se possível, nunca sendo responsável pelas compras da EBD, pois está em contato direto com os professores e não poderia gerir bem esta situação (Compras devem ser direcionadas ao diretor para pesquisa de preços e prazos).

Fonte:IGREJA EVANGÉLICA BETEL

Links do Site